Universidade modifica sistema de aplicação da avaliação institucional

Postado por: Corso

Um dos resultados do processo de avaliação institucional realizado em 2019 foi a modificação do sistema de aplicação da avaliação que será feita neste ano. “Tivemos muitas sugestões de melhora da plataforma onde a avaliação é realizada e com o importante apoio da Agência de Tecnologia da Informação e Comunicação modificamos totalmente o sistema”, explica Maria Inês de Affonseca Jardim, presidente da Comissão Própria de Avaliação (CPA) da UFMS.

De acordo com Maria Inês, a avaliação auxilia na regulação da Universidade além de ser uma fundamental fonte de informação para que a gestão superior possa planejar suas ações. “Na avaliação são retratadas as opiniões de diferentes segmentos da UFMS sobre as atividades e estrutura da Universidade. Estas informações, além de serem utilizadas pela gestão superior, são parte importante do relatório que a CPA encaminha todo ano para o Ministério da Educação, e que é um dos documentos base para a consulta das comissões externas que avaliam tanto a Instituição como seus cursos”, comenta.

“A melhoria no processo de avaliação é contínuo e consideramos as sugestões dos diferentes segmentos fundamentais neste processo”, fala Maria Inês. Em relação às mudanças no sistema, a presidente da CPA destaca a possibilidade de salvar as respostas antes do envio, um campo identificado com um ponto de interrogação onde determinados termos serão explicados e uma nova apresentação na parte de avaliação das disciplinas por parte dos alunos. “Para 2021, quando teremos um novo ciclo avaliativo, uma reestruturação das questões está sendo feita. Não é conveniente em termos de avaliação a mudança das questões durante o ciclo. Também foi incluído um ícone para diferenciar alunos e professores da modalidade presencial e da modalidade de educação a distância”, ressalta.

Avaliação 2020

“O intuito da avaliação é produzir uma reflexão coletiva, um diagnóstico para conhecer melhor as ações institucionais, por isso a importância da participação de toda comunidade universitária, para que os dados apresentados possam subsidiar uma tomada de consciência para superação de problemas evidenciados”, destaca a responsável pela Secretaria Especial de Avaliação Institucional Jacyara de Souza. A Seavi é unidade da UFMS responsável por coordenar e articular as diversas ações de avaliação desenvolvidas na Instituição.

A partir do dia 15 de junho, a avaliação institucional deve estar disponível para estudantes e professores. “Estamos em fase final de homologação do novo sistema. Neste semestre, considerando a situação atípica das atividades devido à pandemia, a CPA optou por inverter os instrumentos já que os segmentos não estão, em sua maioria, utilizando os espaços físicos da universidade. Assim, vão participar da avaliação os acadêmicos e docentes”, diz Maria Inês.

Segundo a presidente da CPA, os estudantes e professores vão avaliar as condições específicas do seu curso, disciplinas e de suas turmas. “Também foi acrescentado um bloco de questões para que todos possam avaliar alguns aspectos relacionados ao ensino no momento atual, no qual a rotina da Instituição foi modificada por conta das medidas de enfrentamento à pandemia da Covid-19”, destaca. “Foram também acrescentados alguns campos para respostas abertas, sugestão dada na última avaliação”, explica.

Como é feito o trabalho

Depois de respondida a avaliação, o sistema é fechado e todos dados são tabulados pela Agetic e disponibilizados para a CPA. Em seguida, os dados específicos das unidades e cursos são encaminhados para as Comissões Setoriais de Avaliação (CSAs), diretores e coordenadores de curso. Os professores também recebem seus dados individualmente.

As CSAs constroem um relatório e divulgam aos diferentes segmentos da unidade. De posse dos resultados os gestores têm a autonomia para, de acordo com o planejamento da unidade ou do curso, e de acordo com o PDI da UFMS, executar ações de melhoria ou aperfeiçoamento nas estruturas e gestão que estão sob sua responsabilidade. As ações realizadas pelos gestores são indicadas nos relatórios subsequentes das CSAs.

Além dos resultados dos instrumentos aplicados para os diferentes seguimentos a CPA também recebe relatórios de todas as pró-reitorias e unidades suplementares sobre o planejamento e ações no ano correspondente a avaliação. Já as questões diretamente relacionadas ao processo de avaliação são discutidas pela CPA.

“De posse de todos estes dados a CPA constrói um relatório institucional que é anualmente enviado ao MEC. O Ministério define que estes relatórios devem seguir um ciclo de três anos sendo que o do último ano deve apresentar uma análise completa do ciclo”, finaliza Maria Inês.

Texto: Vanessa Amin

Fonte: originalmente publicado no link.

Compartilhe:
Veja também