Segunda etapa da Avaliação Institucional pode ser respondida até 25 de novembro

Postado por: Corso

Estudantes dos cursos de graduação (presenciais e a distância), de pós-graduação e os professores que ainda não participaram da segunda etapa da Avaliação Institucional 2022 têm até 25 de novembro para preencher o formulário no Sistema de Avaliação Institucional (Siai).

“Agora no segundo semestre, são avaliadas, principalmente, as disciplinas que foram cursadas pelos estudantes e as ofertadas pelos professores. Será uma avaliação desses dois segmentos, para verificarmos qual a percepção em relação aos conteúdos e desempenho dos professores e acadêmicos”, explica a presidente da Comissão Própria de Avaliação Jacyara de Souza.

A participação é voluntária. Para acessar o sistema é necessário efetuar o login com o Passaporte UFMS. “Esses resultados serão importantes para que possamos conhecer como está nossa instituição nesses itens e para que os gestores possam promover as melhorias nos cursos de graduação e pós-graduação”, reforça.

Primeira etapa

No primeiro semestre, foi realizada a primeira etapa da Avaliação Institucional 2022, que contou com a participação de estudantes, docentes, coordenadores de curso, diretores e técnicos-administrativos, que responderam a perguntas variadas, que envolveram desde as políticas até a infraestrutura da Universidade. “A avaliação é fundamental para que a nossa Instituição possa conhecer os pontos fortes e fracos das práticas universitárias, segundo a percepção da comunidade”, afirma a diretora de Avaliação Institucional Caroline Spanhol.

Segundo Caroline, há vários avanços promovidos com base nas informações fornecidas pela comunidade no processo de avaliação. “Podemos citar a política de internacionalização. Podemos ver a ampliação das oportunidades de internacionalização para os nossos estudantes e servidores. Por isso a avaliação é importante, pois é a partir da efetiva participação que podemos promover mudanças e avançar cada vez mais”, enfatiza.

 

Texto: Vanessa Amin

Fonte: notícia originalmente publicada no link.

Compartilhe:
Veja também